14 coisas que não deve incluir no seu CV

Existem algumas coisas que simplesmente não pertencem ao seu currículo. Incluindo-as pode fazer com que seja automaticamente excluído para um trabalho antes de obter uma resposta.

Deixamos-lhe uma lista com as principais coisas que não devem ser incluídas num currículo.

Mantenha seu currículo concentrado nas competências e qualificações para o trabalho a que se está a candidatar.

1. Longos parágrafos sem marcas. Os recrutadores podem analisar as seções do seu currículo e perderem a evidência chave de suas qualificações se os seus parágrafos forem muito densos e com muito texto.

2. Dizer o que deseja ganhar com o trabalho a que se candidata. A sua preocupação deve ser o que pode oferecer ao empregador e não o que espera ganhar.

3. Descrições gerais de funções sem referência de como você adicionou valor. Os empregadores não querem ver a descrição do seu trabalho, eles querem saber sobre as competências e recursos que utilizou para obter resultados reais.

4. Frases como “Responsabilidades” ou “Deveres”. Faça o seu CV sobre o que realmente realizou e não sobre o que você deveria ter feito no trabalho.

5. Início das frases. Comece as suas frases com palavras de trabalho, ação ou realização para envolver o leitor em vez de nomes ou pronomes.

6. Experiências irrelevantes, especialmente do passado distante. Cada declaração sobre o seu CV deve levar o empregador a concluir que tem as qualificações corretas para o trabalho. O seu objetivo é que o recrutador passe o seu tempo a analisar as suas experiências relevantes mais significativas. O mesmo vale para as competências. Certifique-se que as competências que inclui são atuais e relevantes para o trabalho, caso contrário, deixe-as fora de seu currículo.

7. Idioma vazio ou florido. Cada frase no seu currículo deve apontar para uma competência ou realização específica. Caso contrário, é apenas uma distração.

8. Erros ortográficos ou gramaticais. O CV serve como uma amostra das suas competências de escrita e mostra se está ou não orientado para os detalhes.

9. Informações pessoais como altura, peso, sexo, religião, afiliação política ou local de nascimento. Os empregadores não devem tomar decisões de emprego com base nestes fatores e podem sentir que, colocando esta informação no CV, está com a tentação de os forçar a fazê-lo.

10. Hobbies ou interesses que não apontam para competências de trabalho desejáveis ​​ou que tenham qualquer relevância para o trabalho.

11. Afirmações fracas sobre formação académica como médias baixas ou frequência de curso durante um semestre. Coloque apenas resultados académicos que sejam uma mais valia e que valorizem o seu CV. Não faz sentido tentar impressionar um recrutador com algo que não é impressionante.

12. Fotografias, a menos que seja pedido pelo recrutador. Os empregadores não querem ser acusados com alegações de discriminação. Forneça, por exemplo, o endereço do seu perfil do LinkedIn se acha que a sua aparência é uma mais valia.

13. Razões para deixar seus empregadores anteriores. Não há necessidade de justificar os seus movimentos de carreira. Isso só faz parecer que está a arranjar desculpas.

14. Nomes e informações de contato de ex-supervisores. Forneça uma lista separada das suas referências quando solicitado. Diga a essas pessoas que poderão ser contatadas por recrutadores a pedirem informação sobre a sua pessoa para eles estarem preparados.

Veja também Dicas para criar um CV profissional


Veja mais ofertas de emprego e estágios na página Oportunidades

Ofertas perto de si

error: