Como concorrer a uma oferta de emprego quando não tem os requisitos necessários

Está pronto para um dos segredos mais bem guardados do processo de procura de emprego? A menos que a pessoa que está a tratar do processo de recrutamento já tenha trabalhado nas funções exatas que está a tentar preencher, uma quantidade razoável da descrição do trabalho é adivinhação.

Pense nisso: Os gestores de recrutamento têm que escrever uma descrição que irá atrair as pessoas qualificadas e afastar aquelas que não se qualificariam para uma entrevista. Além disso, nunca ouviu histórias de uma pessoa que “tinha todas as qualificações” ser preterido nas etapas finais para alguém que provavelmente “parecia encaixar-se melhor na oferta?” Provavelmente já.

Então, o que é um candidato a emprego que não cumpre todos os requisitos presentes na descrição da vaga pode fazer?

Passo 1: Pergunte a si mesmo se consegue fazer o trabalho

Repare que não foi perguntado: “Você quer o trabalho?” ou, “Quanto você quer o trabalho?” Honestamente, essas questões são irrelevantes. Por exemplo, não importa como quer muito trabalhar numa língua estrangeira – se o trabalho exige tradução de documentos, e você é apenas de conversação, não está qualificado.

Em vez disso, leia a descrição do trabalho e tente obter uma percepção do que iria fazer a cada dia. Fale do que tem para oferecer em vez das qualificações que lhe faltam.

Passo 2: Ignore requisitos “bónus”

Alguns requisitos são listados porque “soa bem.” Por exemplo, “formação superior numa universidade de prestígio”, essas palavras fazem a oferta parecer mais impressionante.

Outra maneira como as empresas assustam os possíveis candidatos é publicando os requisitos para um “candidato de sonho ou candidato ideal” – por exemplo, um rol de competências informáticas avançadas para um trabalho que requer principalmente interação com as crianças.

Então, se vir uma quantidade enorme de qualificações na oferta não se assuste, veja-as como habilidades de “bónus”, e foque a sua candidatura em todas as habilidades que tem.

Passo 3: Use as palavras mágicas

Às vezes, as competências necessárias que estão em falta não se encaixam em nenhuma das categorias acima: Apesar de não ser um deal-breaker, vai também contribuir para o trabalho, e estes são mais do que a cereja no topo do bolo. Primeiro que tudo, lembre-se deste sábio conselho de Lily Zhang, e nunca escreva “Eu sei que não tenho a experiência certa para o trabalho, mas …” na carta de apresentação.

Zhang usa uma expressão importante: “habilidades transferíveis”. O termo “habilidades transferíveis” tem poderes mágicos de procura de emprego que não devem ser subestimados. Porquê? Porque uma parte crítica do processo de candidatura é ligar os pontos entre a experiência que os candidatos já possuem e a que a vaga exige.

Certifique-se que não tem excesso de experiência relevante. Por exemplo, não tente explicar como fazer de babysitter o preparou para ser assistente executivo.

Se estiver interessado numa vaga e se vê a fazer um grande trabalho, não deixe que algumas qualificações em falta o façam desistir de se candidatar.

Siga os passos acima e espere para ver o que acontece. Pode não ser selecionado para uma entrevista, mas também pode ser a melhor pessoa para a vaga, e candidatando-se será a única forma de descobrir.


Veja mais ofertas de emprego e estágios na página Oportunidades

Ofertas perto de si