Este site utiliza cookies. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Fechar

10 dicas para arranjar trabalho sem experiência

Toda a gente que entra no mercado de trabalho vai se deparar com o temido Paradoxo de Permissão: não consegue arranjar trabalho sem experiência, contudo não consegue ter experiência sem trabalho. É algo que é desmotivador e parece quase impossível ultrapassar. Quase. As nossas 10 dicas para arranjar um trabalho sem experiência pode ajudá-lo de ir de 8 a 80 num período de tempo bastante razoável (procurar trabalho nunca é rápido!).

1. Eduque-se

Faça aulas, vá a workshops, receba certificados e diplomas e, se tiver que ser, tire uma licenciatura. Não só isto vai ajudá-lo a obter conhecimento para o trabalho, como também mostrar a sua dedicação e empenho. Para além disso: os professores e colegas são uma ótima forma de começar a expandir a sua rede.

2. Comece a trabalhar (para chegar ao topo)

Outra forma de ganhar alguma experiência numa área específica é trabalhar por pouco ou nenhum dinheiro – não parece muito motivador, mas sim, pode ajudá-lo a pôr um pé em todos os tipos de portas: pode fazer voluntariado, estagiar ou fazer freelance para pôr as mãos na massa. Dependendo da carreira, começar ou contribuir para um blog pode ser uma boa ideia para expor a sua paixão e talento. Resumidamente: preencha o seu CV e o seu portfolio com projetos relevantes em que investe part-time, aos fins-de-semana ou durante férias escolares.

3. Trabalhe na Rede

Uma forma conveniente de arranjar trabalho é ser recomendado ou conhecer um amigo de um amigo. Para que isso aconteça, precisa de criar e cultivar a sua rede, tanto online como offline: certifique-se de que as pessoas sabem que está a investir na carreira xyz – e esteja pronto com uma apresentação rápida, um currículo atualizado, e, é claro, um perfil no LinkdeIn muito apelativo.

4. Vamos fazer um desenho!

Está na altura de ir buscar papel e canetas e fazer um grande diagrama de Venn que pode ajudar a guiar o seu percurso para o sucesso: Faça uma lista de todas as competências, experiência e os traços pessoais necessários para o seu futuro emprego. Depois, adicione as competências, experiência e os traços pessoais que já tem e onde os dois círculos se sobrepõem. Pode usar isto como referência para ver do que é que precisa para melhorar e o que é que pode realçar no seu CV e carta de apresentação.

5. Torne-se especialista na sua área

Aprenda tudo o que há para aprender sobre a indústria e o trabalho. Não só isto vai prepará-lo para a carreira – como também o vai ajudar quando estiver a fazer a sua rede e a ir a entrevistas de emprego. Para se tornar num especialista na sua área, interaja em fóruns, leia blogs e junte-se a grupos online e offline. Certifique-se de que também conhece alguns nomes cruciais no negócio – online e offline; local, nacional e até internacionalmente.

6. Peça conselhos

As pessoas adoram dar conselhos e serem vistas como especialistas ou entendidos numa determinada área. Assim que tiver aprendido os nomes dos profissionais que admira e que têm a carreira que quer, tente entrar em contacto com elas – online ou, se gostar do contacto à moda antiga, com uma nota escrita à mão, por exemplo. Uma boa forma de fazer com que as pessoas se sintam importantes e valorizadas é perguntar quais são os próximos passos que recomendam que dê. Não se fique por apenas enviar vários emails com o seu CV – toda a gente está ocupada, as caixas de entrada estão cheias.

Estabeleça sempre uma conexão antes de pedir conselhos ou até favores.

7. Tenha uma boa história para contar

Certifique-se de que tem uma história de início de carreira cativante que não deixa margem para dúvidas de que é a pessoa perfeita para todos os tipos de emprego numa determinada área. As pessoas vão fazer perguntas (tantas perguntas!), portanto, prepare respostas claras e concisas de porque é que quer entrar para esta área, o que é que vai fazer para alcançar esta meta e o que é que tem para oferecer. É aqui que vai poder impressionar com a sua paixão, apresente todas as competências e experiências
importantes, finalize com a sua educação e persuada toda a gente com quem falar.

8. Revitalize o seu CV

E já que estamos a falar do assunto: certifique-se de que o seu CV reflete as partes cruciais da história. Foque-se nos seus talentos e competências e não só os seus títulos profissionais: crie um CV que não remói no passado, mas que olha para o futuro e demonstra todas as coisas boas com as quais pode contribuir para o futuro.

Confira estas dicas preciosas sobre como preparar um CV sem experiência.

9. Foque-se nas soft skills

As competências transferíveis podem ser – surpresa! – transferidas para uma situação ou trabalho e mostrar como é que interage com pessoas. Exemplos destas soft skills são competências interpessoais, competências organizacionais, competências de liderança e competências de comunicação. Foque-se na sua capacidade de motivar pessoas, fazer multitasking, supervisionar, ou falar em público. Crie um CV que emana personalidade e exibe as suas soft skills em toda a sua glória profissional. Se puder mostrar porque é que uma soft skill vai facilitar a aprendizagem de uma competência difícil em particular, acertou em cheio.

10. Aponte de forma razoavelmente alta

Apesar de dever sempre apontar para alto quando se trata da sua carreira, também é importante usar senso comum quando se candidata a um emprego. É um iniciante, portanto, procure posições a esse nível onde sabe que vai poder mostrar que é capaz de
fazer o trabalho. Deixe claro que sabe que é iniciante, mas que tem vontade de aprender – e depois adicione uma quantidade irresistível de entusiasmo, paixão e determinação.

Empregos e estágios perto de si

Veja também

Como alugar um imóvel?

Alugar um imóvel é algo complexo e muitas vezes difícil. Porém, com este artigo, mostraremos …