Este site utiliza cookies. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Fechar
Segurança Social

Direção-Geral da Segurança Social está a recrutar Diretor-Geral

A Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) é um serviço central da administração direta do Estado que integra o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A Direção–Geral da Segurança Social criada pelo Decreto-Lei n.º 549/77, de 31 de dezembro, ratificado, com emendas pela Lei n.º 55/78, de 27 de julho, surge na sequência de uma nova visão estrutural para o sistema de Segurança Social, baseada em princípios de integração, descentralização e participação.

A integração, para além da eliminação de sobreposições e lacunas pressupõe a atuação coordenada e articulada dos órgãos, serviços e instituições do âmbito do setor. Com efeito, a existência de estruturas paralelas e não articuladas de previdência social e de assistência social conduzia a situações de sobreposição mas também de desproteção dada a inexistência de objetivos comuns.

A gestão na Direção-Geral da Segurança Social assenta nos pressupostos emanados pelo sistema integrado de avaliação do desempenho na administração pública (SIADAP), que visam contribuir para melhoria do desempenho e qualidade de serviço.

Oferta – Diretor-Geral – Lisboa

Área de formação preferencial ao perfil

  • Licenciatura em áreas adequadas às funções a exercer, nomeadamente, ciências sociais.

Outros fatores preferenciais

  • Conhecimento da Administração Pública;
  • O/A candidato/a deverá demostrar conhecimento do organismo e da sua atividade, nomeadamente nas áreas das atribuições e competências constantes da respetiva Lei Orgânica, com base na documentação e dados disponíveis ao público, bem como das áreas de atribuição do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social;
  • Capacidade de articulação institucional, em particular com entidades relevantes do ponto de vista da segurança social.

Experiência profissional preferencial

  • No âmbito do sistema de solidariedade e segurança social;
  • Na definição de políticas de ação social, de medidas de combate à pobreza e de promoção da inclusão social e de medidas integradas de âmbito intersectorial;
  • No desenvolvimento de medidas de política no âmbito da segurança social e em matéria de cooperação com as entidades do setor social e outras relevantes na perspetiva da segurança social;
  • No âmbito da articulação da segurança social com as Instituições Particulares de Solidariedade Social e seus representantes;
  • No âmbito da articulação da segurança social com os parceiros sociais;
  • No exercício de cargos dirigentes na Administração Pública ou equiparados.

Remuneração

  • 3778,97€ (vencimento base) + 787,38 € (despesas de representação).

Requisitos de admissão

  • O procedimento concursal está aberto a todos os cidadãos nacionais, no uso dos seus direitos civis;
  • Constitui requisito legal de admissão ao procedimento concursal ter a licenciatura concluída há pelo menos 10 anos, até à data de abertura do procedimento concursal, conforme disposto no n.º 1 do artigo 18.º do EPD. No caso de a licenciatura ter sido obtida no estrangeiro deverá ser reconhecida em Portugal, de acordo com a legislação em vigor, até à data de abertura do procedimento concursal;
  • Constitui requisito legal de admissão ao procedimento concursal a declaração de aceitação da Carta de Missão;
  • Constitui requisito legal de admissão ao procedimento concursal a declaração de que não se encontra em situação de incompatibilidade e/ou impedimento para o exercício do cargo.

Mais informações e candidaturas [AQUI]

Empregos e estágios perto de si

Veja também

REN

REN está a recrutar Técnico Superior de Liquidação

A REN – Redes Energéticas Nacionais é a empresa que, em Portugal, gere as principais …