Governo

125 milhões de euros para reforçar os recursos humanos nas escolas

O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, afirmou que vai haver um investimento de 125 milhões de euros para reforçar os recursos humanos nos estabelecimentos de ensino com o objetivo de facilitar o trabalho de recuperação do 3.º período.

Tiago Brandão Rodrigues falava durante uma audição regimental na Comissão de Educação, Ciência, Juventude e Desporto, na Assembleia da República.

O Ministro referiu que o montante destina-se à contratação de professores, pessoal não docente e técnicos especializados, como assistentes sociais, psicólogos e mediadores. O investimento faz parte de um programa de desenvolvimento pessoal, social e comunitário para mitigar os problemas associados ao insucesso e ao abandono escolar.

Apoio tutorial e crédito horário

Além do reforço das equipas docentes – que servirá sobretudo para facilitar o trabalho de recuperação das aprendizagens que não foram consolidadas durante o 3.º período deste ano letivo que agora terminou – Tiago Brandão Rodrigues disse que haverá um reforço do programa de apoio tutorial específico e do crédito horário disponível às escolas.

Relativamente ao apoio tutorial, o Ministro explicou que o mesmo será alargado ao ensino secundário e incluirá um conjunto de alunos identificados pelas equipas multidisciplinares de educação inclusiva, que não tenham tido um acompanhamento regular durante o 3.º período.

No caso do crédito horário, o mesmo será reforçado em mais de 25%, para que as escolas se possam dedicar a apoios e coadjuvações e assegurar eventuais desdobramentos de turmas durante todo o ano letivo.

«As primeiras cinco semanas serão, particularmente, dedicadas à recuperação e consolidação das aprendizagens, permitindo superar um conjunto de eventuais lacunas resultantes das dificuldades de aprendizagem, mas serão suplementadas ao longo de todo o ano letivo com o reforço significativo do crédito horário e do apoio tutorial específico», frisou o Ministro.

Refeições para 30 mil até ao final de julho

Tiago Brandão Rodrigues anunciou ainda que um conjunto de escolas vai permanecer aberto até ao final de julho para garantir refeições a cerca de 30 mil alunos mais carenciados, depois de o Ministério ter garantido idêntica resposta social desde março, incluindo na pausa letiva da Páscoa.

«Estamos a providenciar refeições a quase 30 mil alunos até ao final de julho», antecipou o Ministro.

Numa declaração inicial, o responsável saudou o trabalho de todos os profissionais das escolas durante um período de incerteza como a pandemia de covid-19, apontando que «é preciso fazer mais».

Tiago Brandão Rodrigues lembrou como nestes últimos três meses de aulas a distância as escolas tentaram reduzir as desigualdades sociais, numa altura em que essas desigualdades «foram mais evidentes».

Ver notícia [AQUI]

Veja mais ofertas de emprego e estágios na página Oportunidades

Ofertas perto de si

Sobre Equipa E2

Veja também

Sonae lidera ranking de igualdade de género na administração das empresas

A Sonae lidera o índice “Leading Together”, que avalia a igualdade de género nos quadros ...

error: